Alunos da UFPE fazem assembleia para debater gestão do HC


Uma assembleia nesta terça-feira (3) deve definir os rumos da ocupação da Reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), iniciada no final da manhã de segunda-feira (2). Segundo a pró-reitora da UFPE, Ana Cabral, há entre 30 e 40 manifestantes no local – eles passaram a noite lá. Os estudantes dizem que estão dispostos a conversar com o reitor. Uma aluna que não quis se identificar, integrante do movimento, disse que o reitor Anísio Brasileiro está convidado a participar da assembleia. A reunião estava marcada inicialmente para o meio-dia, mas o impasse provocou um adiamento e ainda não há previsão de início.

A reivindicação dos alunos é “um Hospital das Clínicas público de verdade”. O prédio foi ocupado após o Conselho Universitário aprovar, na manhã da segunda (2), a mudança de gestão do hospital universitário da instituição, o Hospital das Clínicas (HC).

Segundo Ana Cabral, a conversa está evoluindo. “Conseguimos que fosse desobstruído o acesso á sala dos professores e garantimos que a segurança não vai fazer nada contra eles [os alunos]. Eles queriam que o reitor viesse conversar no gabinete, que está completamente tomado e não apresenta condições de segurança. Propusemos que a conversa aconteça do lado de fora da reitoria e eles ficaram de avaliar na assembleia de meio-dia”, explica.

No início da manhã de segunda (2), em uma votação polêmica e apressada, o Conselho Universitário aprovou por maioria que o HC vai aderir à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) do Ministério da Educação (MEC). “A gente entende que essa votação não foi consolidada. Não houve uma discussão sobre o assunto. Eu, como conselheiro, não consegui votar”, afirmou José Luís Simões, presidente da Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe). Os manifestantes são contra a adesão e alegam que a medida tira a autonomia da UFPE em relação ao HC.
Ainda de acordo com eles, a Reitoria da UFPE será ocupada até que as reinvindicações sejam atendidas.  Eles pedem a anulação do resultado do Conselho Universitário; construção de uma alternativa para o Hospital das Clínicas, em diálogo com os estudantes, servidores, professores e sociedade civil; realização de debate com a comunidade acadêmica sobre a reestruturação do HC; e que a decisão sobre a Ebserh seja realizada através de plebiscito, organizado pelos três setores da comunidade (servidores, professores e estudantes) e a reitoria.

Para Anísio Brasileiro, reitor da Universidade, a aprovação da adesão à Ebserh foi, praticamente, uma decisão unânime. “É uma mudança de gestão. Nós vamos poder contratar de maneira mais rápida, abastecer melhor o hospital, melhorar a infraestrutura, inclusive os elevadores de que a imprensa vem falando tanto. A grande beneficiada é a população”, defendeu

Post Author: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *