Agrestes Central e Setentrional sediam conferências Regionais de Convivência com o Semiárido


Encontros ocorrerão nestas quarta (04) e  quinta-feira (05) em Caruaru e Surubim

                                                                               
Esta semana, representantes da sociedade civil, dos conselhos municipais de desenvolvimento rural sustentável, do poder público municipal e estadual, de sindicatos, associações, comunidades e povos tradicionais do Agreste Central e Setentrional vão ter a oportunidade de fazer suas proposições para o Plano Estadual de Convivência com o Semiárido.  A série de cinco conferências regionais será encerrada esta semana nas cidades de Caruaru, nesta quarta-feira (04) e de Surubim, na quinta-feira (05).

Os encontros promovidos pelo Governo Estado, sob a coordenação da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária, já ocorreram com os municípios das regiões do Sertão Central, do São Francisco, Araripe, Itaparica, Moxotó, Pajeú e Agreste Meridional.  Nos próximos dias 09 e 10, no Centro de Convenções de Pernambuco, será realizada a conferência estadual, quando serão apreciadas todas as sugestões apresentadas, resultando no Plano Estadual de Convivência com Semiárido.  


Entre as principais demandas apontadas nas três conferências realizadas na última semana destacaram-se a inclusão de disciplina que trata da convivência com o semiárido no currículo escolar, aumento da construção de obras de infraestrutura hídrica e o reforço na prestação do serviço de assistência técnica e extensão rural. “Pela primeira Pernambuco terá um Plano de Convivência com o Semiárido que implicará na execução de ações permanentes para preparar a população dos 122 municípios do semiárido a conviver com os longos períodos de estiagem”, ressalta o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Aldo Santos. 

Durante a Conferência realizada em Garanhuns, na semana passada, o secretário de Articulação Social e Regional, Aluísio Lessa, relatou que estudos apontam que a cada sete anos ocorre uma grande seca e para se preparar para conviver com essa realidade, ele disse que é necessário ter pactos. “Isso é o que o Governo Eduardo Campos vem fazendo em várias áreas, a exemplo do Pacto da Vida. E agora, com essa conferências sairá o pacto para a convivência com o semiárido”, falou. 

Post Author: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *