Em dia inspirado, Santa Cruz massacra o Salgueiro por 7 a 0

Tricolor se recuperou da derrota no clássico com uma irretocável goleada sobre o Salgueiro (Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press)
Tricolor se recuperou da derrota no clássico com uma irretocável goleada sobre o Salgueiro
O Santa Cruz entrou em campo nesse domingo com a corda no pescoço. Fora da zona de classificação às semifinais do Campeonato Pernambucano, um tropeço diante do Salgueiro, no Arruda, poderia complicar a caminhada em busca do tetra estadual e abrir uma crise às vésperas da primeira partida semifinal contra o Sport, pela Copa do Nordeste. Temor que não teve tempo de aparecer. Soberano, o Santa fez 4 a 0 nos sertanejos ainda no primeiro tempo. Goleada complementada na etapa final, com a vitória por 7 a 0, resultado que levou a equipe a assumir a 3ª colocação, com oito pontos. Recuperação na tabela e na moral do tricolor.

Para a partida, o técnico Vica promoveu duas modificações com relação ao clássico da última quinta-feira, contra o Sport, promovendo as entradas de Flávio Caça Rato e Renatinho nas vagas de Cassiano (lesionado) e Raul, por opção tática. Mas a principal mudança no time coral foi de postura. Era como se o Santa entrasse em campo ferido, com a obrigação de dar uma resposta à torcida. E deu.

Tanto que fez com o Salgueiro o mesmo que havia sofrido contra o Sport. Liquidou a partida ainda no primeiro tempo. Tanto que com apenas 10 minutos, já vencia por 2 a 0, tendo como um dos destaques, Flávio Caça-Rato. Foi dele o passe pára o gol de Carlos Alberto logo aos sete minutos. Três minutos depois, foi o próprio CR7 que ampliou, após receber presente do zagueiro do Carcará, dentro da área.

Com tranquilidade, Tricolor conduziu a partida sem sofrer nenhuma ameaça (Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press)
Com tranquilidade, Tricolor conduziu a partida sem sofrer nenhuma ameaça
Com a boa vantagem, os corais passaram a administrar a partida. Sem, no entanto, diminuir o ímpeto ofensivo. Nem se descuidar da defesa. Tanto que a única defesa de Tiago Cardoso em toda a etapa aconteceu aos 25 minutos, com chute de Fabrício Ceará, após erro na saída de bola de Éverton Sena.

Mas a partida estava dominada. Aos 33 minutos, Caça-Rato fez o terceiro, ao cabecear com estilo, tirando do alcance de Luciano. Atordoado, o Salgueiro rezava para o primeiro tempo acabar. Mas antes do apito final do árbitro, ainda houve tempo para Everton Sena, também de cabeça, transformar o placar em goleada.

Com o resultado definido, o técnico Vica aproveitou para testar alternativas para a lateral esquerda, já visando o clássico de quarta, contra o Sport. Assim, tirou o garoto Patrick (mais uma vez apagado) e improvisou Nininho no setor. Vale lembrar que o técnico não conta com Tiago Costa e Panda, ambos lesionados. Em seu melhor lance, Nininho obrigou o goleiro Luciano a fazer grande defesa, após finalização de fora da área.

O ímpeto do Santa, no entanto, não diminui. Sem pena, o Santa ampliou a goleada rapidamente. Três vezes com Léo Gamalho. Aos 12 minutos, em cobrança de pênalti sofrida por ele mesmo. Três minutos depois, com uma bomba após Caça-rato roubar bola do zagueiro Ricardo Braz. Até um cachorro invadiu o campo para comemorar com os tricolores para delírio da torcida.

O último gol saiu aos 33 minutos, após boa jogada do garoto Raniel, que puxou contra-ataque e tocou para o camisa nove tricolor mandar uma bomba no ângulo: 7×0.

Ficha do jogo
Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel,Everton Sena, Renan Fonseca e Patrick (Nininho); Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Carlos Alberto (Raniel) e Renatinho; Flávio Caça-Rato (Pingo) e Léo Gamalho. Técnico: Vica.

Salgueiro: Luciano; Marcos Tamandaré, Ranieri, Ricardo Braz (Aílton Alemão) e Daniel; Rodolfo Potiguar (França); Moreilândia, Vítor Caicó e Anderson Paraíba; Fabrício Ceará e Kanu. Técnico: Cícero Monteiro.

Local: Arruda. Árbitro: Luiz Cláudio Sobral. Assistentes: Wlademir de Souza Lins e Marlon Gomes de Oliveira. Gols: Carlos Alberto (7 do 1º), Flávio Caça-Rato (10 e 33 do 1º) e Everton Sena (41 do 1º). Léo Gamalho (12, 15 e 33 do 2º). Cartões amarelos: Moreilândia, Marcos Tamandaré, Ricardo Braz e Rodolfo Potiguar (S), Patrick e Raniel (SC). Público: 11.921. Renda R$ 106.524

Post Author: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *