Músico pernambucano é acusado de agressões

Diário de Pernambuco
A Delegacia da Mulher do Recife está investigando denúncias contra um músico pernambucano. César Carvalho, o cantor e sanfoneiro Cezzinha, é suspeito de agredir a advogada Fabiana Fernandes, 33 anos, com quem teria mantido um relacionamento de nove meses. O músico desmente as acusações e nega que tenha namorado com a advogada. Segundo a denúncia oficializada por Fabiana no dia 24 de janeiro, durante o relacionamento Cezzinha a teria agredido em três ocasiões.

A primeira delas, em outubro passado, teria acontecido dentro do banheiro feminino de um bar. Com ciúmes de mensagens que o cantor estaria trocando com outra pessoa, ela pegou o celular do músico e correu para o banheiro. Ele teria ido atrás dela e lá as agressões mútuas teriam acontecido. “Fiquei com o rosto deformado, ficou muito feio”, contou.
 Em dezembro uma nova briga teria acabado em mais uma agressão física. “Ele queria que a gente fizesse um sexo grupal e eu não aceito isso. Ele ficou puxando minha blusa e isso me desesperou. A gente estava numa via grande, sem radar, e ele começou a acelerar muito o carro e frear de vez. Na terceira freada eu voei e quebrei o parabrisa com a cabeça”, afirmou. Na última briga do casal, em janeiro, ao pedir para que o namorado, que estaria alcoolizado, não saísse para beber mais, Fabiana teria ficado na frente do carro e impedido que ele se deslocasse com o veículo. “Ele não teve dúvidas, botou o carro em cima de mim. Consegui me segurar no capô e ele seguiu comigo pendurada”, relatou.

Fabiana conta que as agressões eram mútuas e não nega que também batia no namorado. “Ele me batia muito e eu também batia, claro, porque eu recebia. Mas não vou comparar a força dele com a minha. Ele toca um instrumento que pesa 15 quilos”.

Tranquilo
Cezzinha não quis comentar as acusações, mas garante que não correspondem à realidade. “O que ela quer é essa confusão, mas eu tenho tudo provado”, falou o músico, explicando ainda que apenas os seus advogados vão falar sobre caso. O advogado do cantor, Arnaldo Escorel, nega que as agressões aconteceram e garante que o relacionamento entre o músico e Fabiana não era namoro. Ele disse ainda que Cezzinha está tranquilo quanto ao resultado do processo. “Ela deve ter outra motivação diferente do que diz e a gente espera que o inquérito revele isso. O processo corre em segredo de justiça e ela mesma está quebrando esse sigilo”, comentou. 

Para a defesa do cantor, Fabiana está sendo incoerente ao falar sobre o caso. “Se ela quisesse se proteger não teria procurado a imprensa. Cesar não precisa expor a vida íntima para provar que isso não aconteceu. Simplesmente não aconteceu”, afirmou o advogado.
 entrevista >> Fabiana Fernandes
“A gente se via e se falava todos os dias”
 A denúncia foi feita em 24 de janeiro, mas em seguida a senhora voltou à delegacia para retirar a medida protetiva. Por que a senhora voltou atrás? 
Minha família sempre foi contra essa relação porque ele era mulherengo e bebia muito. Na época que mais precisava do apoio da minha família eu não tive e ele era a única pessoa que me apoiava, falando que me amava, falando em casamento, mesmo depois do processo. A advogada dele disse que ele me amava e me instruiu a ir na delegacia e deixar tudo para lá. Fui na delegacia e usei todos os termos que ela sugeriu. Quando consegui que a medida protetiva fosse retirada ele sumiu de novo. 

Cezzinha nega que vocês tenham sido namorados, isso influenciou sua decisão de levar o processo a diante?
As lágrimas começaram a cair na hora que o advogado leu o depoimento dele para mim. A gente se via e se falava todos os dias, passamos Natal e Ano Novo na casa dos meus pais. Mas eu já esperava isso vindo dele. Só que não estudei cinco anos de direito para fazer injustiça comigo mesma. Resolvi procurar a doutora Carolina (delegada responsável pelo caso), que me ouviu com a maior paciência e sensatez , me reenqueriu e eu contei tudo a ela.

A denúncia foi feita em janeiro e só agora você procurou a imprensa. Por que?
Resolvi contar para a imprensa quando um homem foi na minha casa me procurando e me ameaçou para minha mãe, dizendo que eu parasse de ligar para a atual namorada de Cesar, que eu nem conheço. Cesar diz que não tem nada a ver com isso, mas expondo o caso, além da minha família e da delegacia, fica Pernambuco inteiro sabendo. 

O que mudou na sua vida desde que resolveu denunciá-lo? 
Tive que mandar meu filho embora do Recife e ninguém imagina a dor que estou sentindo por isso. Mas precisava preservar a integridade física dele. Minha mãe já viu vários carros desconhecidos nas redondezas da nossa casa e venho recebendo ligações de estranhos.

Apesar da relação conturbada, a senhora ainda gosta dele? 
Se eu disser que não gosto mais dele estaria mentindo. Ninguém deixa de amar outra pessoa assim, mas tem uma hora que a gente cansa.  

Números

251 
mulheres
foram assassinadas em
Pernambuco em 2013

21 
vítimas
do sexo feminino foram mortas
no mês de janeiro de 2014

23 
casos foram registrados no mês
de fevereiro

1.286 
mulheres vítimas de violência foram
atendidas pela Delegacia da
Mulher entre os anos 2007
e 2013

20 
casos de agressão contra mulheres
são registrados por dia na
Delegacia da Mulher do Recife

Post Author: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *