Cresce número de detentos que estudam nas unidades prisionais de Pernambuco

542ae1375c343e15a5b1584c2be9a8e5.jpg
De janeiro até agora foram efetuadas 700 novas matrículas, aumentando o número de estudantes de 7.512 para os autuais 8.521
Foto: Divulgação

Do NE10
Dos mais de 30 mil detentos das unidades prisionais de Pernambuco, entre homens e mulheres, 8.521 estão estudando. O percentual de matriculados, que corresponde a 27%, é bem maior do que a média nacional, que é de 11%. De acordo com o Governo do Estado, o número de estudantes vem crescendo dentro das unidades nos últimos três anos.  

De janeiro deste ano até agora, foram efetuadas 700 novas matrículas, aumentando o número de estudantes de 7.512 para os atuais 8.521. “Em 2011, tínhamos apenas 2.500 reeducandos. A mudança nesses últimos três anos ocorreu graças à parceria com a Secretaria de Educação, que passou a oferecer mais professores além de vagas. Também construímos 25 novas salas em nossas unidades prisionais, melhorando a estrutura”, explica o secretário de Ressocialização de Pernambuco (Seres), Romero Ribeiro. 

Segundo o secretário, todas as 20 unidades do Estado, incluindo o Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP), em Itamaracá, oferecem educação aos detentos dentro de suas instalações. As aulas acontecem nos turnos da manhã, tarde e noite. A metodologia e o material didático são os mesmos oferecidos nas escolas da rede estadual.  Além do curso de alfabetização, o sistema possui reeducandos matriculados no fundamental I e II e ensino médio. Em 2013, 480 detentos fizeram a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e cerca de 30% deles foram aprovados, garantindo o certificado de conclusão do ensino médio. Porém, a maioria dos matriculados cursa o fundamental I (da 1ª à 4ª série). 

A meta do Governo é atingir o número de 10 mil matriculados até o final de 2014. “Estamos não só incentivando a participação dos reeducando, como fiscalizando a presença deles em sala”, explicou Romero Ribeiro. Para cada três dias aulas assistidas, o detento tem a sua pena reduzida em um dia.

A unidade masculina Barreto Campelo, em Itamaracá, é a que possui mais detentos estudando. Dos 1.790 presos, 725 estão na escola (40%). Porém, existem unidades menores onde o percentual de matriculados ultrapassa 50% da população carcerária, um dos exemplos é a unidade feminina de Abreu e Lima, que possui 350 mulheres estudando, do total de 497 detentas – o que corresponde a 70,4%.
HOMENS X MULHERES – Dos 30.043 presos do Estado, 28.073 são homens e 1.970 mulheres. Como consequência, o número de homens que estudam dentro das unidades prisionais é bem maior do que o de mulheres. São 7.561 estudantes do sexo masculino contra 960 do feminino. Mas, se analisado por percentual, as mulheres superam os homens: 48,73% das mulheres estão matriculadas, contra 26,86 % dos homens.

Post Author: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *