Obra de esgoto em Tacaimbó vai ajudar a despoluir o rio Ipojuca


A cidade Tacaimbó, localizada no agreste pernambucano, será a primeira cidade a deixar de lançar seus esgotos no rio Ipojuca após a construção do sistema de esgotamento sanitário, obra iniciada em agosto do ano passado. Amanhã (6), a Compesa começa uma nova fase do projeto com o início da obra de instalação de  28 mil  metros de redes e ramais de esgoto na cidade. O município de Tacaimbó será a primeira cidade a receber um sistema de esgoto do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Ipojuca (PSA Ipojuca), financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que tem o objetivo de  despoluir o rio Ipojuca, considerado o manancial  com maior carga de poluição em Pernambuco.  

O empreendimento, um investimento de R$ 14 milhões, já contabiliza  90% da  construção da estação de tratamento, um dos componentes do sistema, e o assentamento de 2,5 quilômetros de emissários de esgoto. A previsão  é que o sistema  de Tacaimbó  comece a operar em  dezembro deste ano, beneficiando mais de sete mil pessoas.

O gerente de Programas Especiais da Compesa, Sérgio Murilo Guimarães, destacou os benefícios do saneamento da cidade de Tacaimbó, entre eles,  a melhoria da qualidade vida da população, a eliminação da necessidade de construção e limpeza de fossas, elevação do valor de venda dos imóveis e a geração de empregos. Entretanto, segundo ele, o maior benefício será a redução em 93,0% do lançamento da carga orgânica da cidade no rio Ipojuca, beneficiando todas as cidades a montante, como por exemplo, Caruaru, Gravatá e as praias de Ipojuca.

Em atendimento à solicitação da prefeita de Tacaimbó, Sandra Aragão, a Compesa, em parceria com o município e iniciativa privada, irá desenvolver uma inovadora ação socioambiental de arborização da cidade, especialmente nas praças e ruas, onde serão implantadas as redes e ramais  de esgoto. “Iremos aproveitar o momento de escavação de valas para o assentamento das tubulações para fazer, de forma simultânea, o plantio planejado de árvores da espécie Ipê, Nim, Flamboian, com o objetivo criar áreas de sombra e beleza, além de minimizar a sensação térmica nas ruas da cidade”, adiantou Sérgio Murilo Guimarães.

Além da cidade de Tacaimbó, o Programa de Saneamento Ambiental do Rio Ipojuca está desenvolvendo projetos de sistemas de esgotamento sanitário nas cidades de Poção, Sanharó, Belo Jardim, Caruaru, Bezerros, Gravatá, Chã Grande, Primavera e Escada. O programa também prevê a construção de parques ambientais em São Caetano, Caruaru e Bezerros, projetos que trarão benefícios permanentes para os  25 municípios inseridos na Bacia do rio Ipojuca. “As obras de saneamento são uma construção coletiva que geram benefícios de grande alcance social para geração atual e a futura”, finalizou o gerente de Programas Especiais da Compesa, Sérgio Murilo Guimarães.














Com informações da assessoria.
























Post Author: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *