Espetáculos e ações formativas de dança movimentam Jaboatão

Realizado pelo Sesc Piedade, o Festival na Onda da Dança acontece entre os dias 4 e 9 de outubro com programação toda gratuita



Com espetáculos de dança que colocam em cena o feminino, trazendo reflexões que transbordam a discussão sobre o humano, além do hibridismo das fronteiras artísticas, o Festival na Onda da Dança movimenta a cidade de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, a partir da próxima terça-feira (4). Realizado pelo Sesc Piedade, o evento tem programação até o dia 9 e traz ainda ações formativas, que estão com inscrições abertas, e homenageia o coreografo e bailarino Paulo Henrique Ferreira.
                                                                                                                   
A programação de espetáculos pode ser conferida no Teatro Samuel Campelo. A abertura, no dia 4, será comandada pelo Acupe Grupo de Dança, às 19h30, com “Tijolos do Esquecimento”. A montagem, inspirada no livro “A Cidade Invisível”, do autor Italo Calvino, indaga o lugar ocupado pelo indivíduo no imaginário urbano. A direção é de Paulo Henrique Ferreira e a dramaturgia assinada por Flávia Gomes. Já na quarta-feira (5), o espaço recebe o Grupo Corpore de Dança, do Sesc Piedade, com “Cárcere”. A apresentação traz, por meio da dança, relações entre fatos políticos ocorridos no Brasil, na época da ditadura militar, indo até a atual situação do país. Fala sobre a falta de liberdade e da repressão, inclusive com a violência. O processo de criação teve início em 2014, quando foram lembrados os 50 anos do golpe. A montagem é dirigida por Ivana Motta e formada pelas bailarinas Débora Freitas, Graci Costa, Ildete Mendonça, Luara Mendonça, Milla Flor e Vitória Mendes.

“O Festival na Onda da Dança oportuniza encontros, formação, qualificação, além de promover rodas de diálogos com reflexões pertinentes ao universo da dança em Jaboatão. Os espetáculos abordam os temas do feminino, com recortes para reflexões que envolvem todo o funcionamento social, e o hibridismo, que nos convida a novas experiências artísticas e estéticas”, explica a professora de artes do Sesc Piedade, Ivana Motta.

No dia 6, é a vez da montagem de dança contemporânea “Cara de mãe”, que fala sobre a compreensão do universo feminino com destaque para o tema da maternidade e suas inquietudes nos dias de hoje. A direção é assinada por Luciana Lyra e a interpretação é das bailarinas Luiza Bione, Íris Campos e Janaína Gomes, do Coletivo Cênico Tenda Vermelha. No dia 7, o Locomotivo Corredor, do Sesc Arcoverde, sobe ao palco do Samuel Campelo com o espetáculo “Carne Viva”, questionando a cultura da opressão e da violência contra o gênero feminino.

Nos últimos dias do Festival tem “Três Mulheres e um Bordado de Sol” (8) e “Segunda Pele” (9). A entrada é gratuita e os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência. Os espetáculos podem ser conferidos às 19h30, exceto no último dia, que começa às 18h.

Formação – A unidade do Sesc Piedade vai receber oficinas, debates e vivências. As inscrições ainda estão abertas. Para participar, os interessados devem enviar os dados pessoais, a atividade de interesse e uma carta de intenção para o e-mailculturasescpiedade@gmail.com. Entre os dias 5 e 8 de outubro, Raimundo Branco, da Compassos Cia de Dança, movimenta a oficina sobre “Os processos de Composição e Criação em Dança”, das 9h às 12h. No dia 6, será realizado o debate “Construindo Pontes – diálogo sobre processos de criação em dança”. O encontro contará com a participação de Silvia Góes, Marcelo Sena, Ivana Motta, Almir Martins, Paulo Henrique, Raimundo Branco, Adriana Dantas e Márcia Lima e mediação de Valéria Barros. Ainda neste dia, tem início a conversa de Técnicas em Diálogos, que pretende pensar diferentes caminhos para a construção do corpo expressivo, por meio de vivências que permitem a consciência do potencial físico, energético e sensorial. A primeira é a de Yoga com Adriana Dantas. No dia 7, tem a de Pilates, e no dia 8, a de Biodança com Márcia Lima.

O projeto – O Festival na Onda da Dança nasceu da ideia de oportunizar debates e discussões sobre a dança, sua história e sua produção cultural, além de oferecer a qualificação e a vivência por meio de ações formativas e apresentações artísticas. Durante os anos de 2007 e 2011, realizou edições contínuas e este ano foi retomado. “Retomar o Festival permite instigar olhares para diferentes estéticas e técnicas da dança, trabalhando em prol da educação crítica e sensível. Para a cidade, é um estímulo para a continuidade de coletivos e grupos profissionais e amadores, criando uma oxigenação e um fluxo para o mercado cultural e a produção artística local”, afirmou o gerente do Sesc Piedade, Rudimar Constâncio.

Homenageado – Paulo Henrique Ferreira é professor de dança, bailarino, coreógrafo, preparador corporal e diretor de movimentos, graduado em Artes Cênicas pela UFPE. Pós-graduado em Ensino de História das Artes e Religiões pela UFRPE e em Sistema Laban/Bartenieff pela FAV (Faculdade Angel Vianna). Fundou em 2007, o Acupe Grupo de Dança, importante grupo da cidade que realiza projetos integrando dança e educação, tais como: Curso Acupe Formação do Intérprete-pesquisador e o Seminário Nacional de Dança e Educação de PE.





Com informações da assessoria.
























Post Author: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *